segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Feliz Natal Para Todos


Para todos os que nos têm acompanhado, acarinhado e aconselhado. Para todos os que nos amam e nos têm no coração.
Para todos os que amamos e que nos dão a mão quando estamos meio perdidos e com os dentes a abanar ;)
Para todas estas maravilhosas pessoas que têm feito parte das nossas vidas...
Um grande beijo e o desejo de um Natal muito Feliz!!!!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Post do descontentamento

Pois é...
Nem tudo é um mar de rosas.
Estou muito triste porque, vejam lá, tenhos dentes a abanar.
Já há uns tempos me tinha lamentado que até os dentes pareciam inchados.
Pois...
Abanam, não muito mas abanam. A fala também está diferente. Os molares batem lá a trás quando falo e estou sibilante, pareço uma serpente desgostosa. Já tenho consulta marcada para dia 2 de Janeiro. Vou rezznado até lá para que os dentes não me caiam (brincadeira). Mas já estou a ver o rio de dinheiro que a fada dos dentes me vai levar.
Consolo-me a olhar para a nossa Ritinha, a coisa mais linda que já fiz na minha vida.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

A Rita foi ao médico


Chegámos antes da hora, fomos pouco espertas, pois se era para as 10:10, não tinhamos nada que ir às 10. Saímos de lá ao meio dia mas eu ía com um grande sorriso. A Rita já pesa 3,340Kgs, já ultrapassou o peso inicial. Tem boa côr, já cresceu, está linda. Disseram-me para continuar o que estava a fazer, que estava bem feito. Resultado, uma mãe orgulhosa e feliz e uma bebé rosada e tranquila.

Fomos almoçar a casa e fomos as duas para as finanças, levei a sling e realmente só tenho elogios a tecer à dita. O ovo ficou no carro, tirei a bebé para dentro da sling e lá fomos, é confortável, as costas não doem e a bebé não reclama. Depois disto ainda fomos ao banco e depois fomos ver a avó Nina. Conclusão, a Rita passeou muito e não chorou uma só vez. Assim que chegou a casa abriu as goelas, como sempre faz e lá foi a maminha, a fraldinha, o miminho. Depois do jantar veio cá a casa a avó Nela e o avô Fox, a nossa Rita é rica em avós, tem cinco e todos a mimam ;)

Agora dorme como um anjinho enquanto eu aproveito para escrever.

Sou uma mãe babada.

domingo, 16 de dezembro de 2007

Um dia daqueles


Hoje vi-me tentada a meter a chupeta na nossa Rita. Depois de uma manhã calma e um passeio até às quatro da tarde, assim que chegou a casa começou o calvário. Foi um berreiro sem fim. Chora, dá-se de mamar, chora de novo, vou ver a fralda, caquita, foi assim até às nove da noite. Em dez minutos sujou 4 fraldas e eu já não sabia o que fazer para a calar, fui buscar a chupeta que ainda está embalada, mas decidi exprimentar a santa mama. Resultou, queria mais papa. Fui jantar às 9 e meia, mais morta que viva e comi sem grande ânimo. espero que ela me dê uma boa noite de sono porque vou desmaiar em cima da cama.

Amanhã é dia de ir ao médico. De manhã lololol, estou mesmo a ver, espero conseguir gerir bem o tempo e sair de casa a horas.

sábado, 15 de dezembro de 2007

Algumas coisas

Roupa para o Hospital:
Para os 3 dias levei quatro mudas de roupa interior.
Constatei que era pouco, tive alguma vergonha de entrar no hospital com uma mala enorme, estilo viagem de 12 dias, mas nesta viagem de ser mãe, sem experiência alguma, percebi que os pequenos seres sujam muita roupa interior, especialmente se não formos profissionais da fralda.
Portanto, levem mais que uma muda por dia. Podem sempre pedir a alguem que traga de casa roupa lavadinha.
Para mim, a roupita que comprei no Continente tem sido a melhor, são das que cruzam à frente e prendem com molas e também as calças. As que são tipo blusa, incomodam mais o bebé, têm de entrar pela cabeça e ela não parece gostar muito. Para usar por cima da roupa interior, o babygrow é a melhor opção, mais uma vez, os que abotoam à frente, para causar menor stress à pessoinha que não gosta de ter a perna ao frio.

Para nós, tentem levar camisas de dormir que abram à frente e sejam frescas, de preferência de verão. As maternidades são aquecidas, muito aquecidas e eu ia morrendo de calor durante a noite só tapada com um lençol. Com uma camisa de verão e um casaquinho, tudo se compõe.
Nos hospitais públicos eles têm fraldas, mas é melhor levarmos as nossas, há também toalhas, eu usei as deles, é que se sujam com muita facilidade e estar a usar uma toalha nova por banho aumenta ainda mais o volume da mala ;)
Cólicas:
O pessoal médico é muito prestável, aproveitem para aprenderem o que puderem com eles, podem pedir-lhes que vos ensinem a fazer uma massagem para as cólicas e experimentem fazer uma na companhia de uma enfermeira, podemos aprender no curso de PPP, mas ao v ivo e a cores é diferente. Em casa, eu faço chá de camomila, funcho e erva cidreira, são os compostos do colimi l, tem resultado até agora.
O primeiro banho com uma enfermeira por perto torna-se mais fácil, há menos nervoso míudinho e aproveitem para pedir conselhos sobre dar de mamar.
Amamentação:
É uma excelente ideia fazer estimular os mamilos durante a gravidez, tornam-se resitentes e evita-se que façam ferida durante os primeiros dias. Eu estimulei-os rodando-os como se fossem torneirinhas. Doi nos primeiros dias mas depois acabam por deixar de doer. Comprei um creme à base de lanolina, Lansinoh, que ponho quando ficam mais doridos, mas não chegaram a gretar sequer.
No início não temos leite, é o colostro. É mais espesso que o leite e geralmente 20 minutos de mama chega para o bebé ficar satisfeito. No terceiro dia chegou o leite e tive um pouco de febre, tomei paracetamol o que ajudou. Quando o peito fica muito duro e o leite não quer saír, podemos pôr um pano quente no peito e massajar em circulo, assim é mais fácil dar mama, depois de alimentar o bebé, um pouco de gelo na mama, ou água fria, ajuda a fechar os canais.
A minha bebé mama quando tem fome, pode ser de 3 em 3 horas, ou mesmo de 1 em 1, depende dela. Nunca deixo passar mais de 4 horas de dia, nem mais de 6 à noite.
Curiosamente, tratar da bebé é bastante intuitivo, aprendo com ela e tenho sorte porque além de ser calminha e só chorar se tiver fome, frio ou com a fralda suja, é bastante fácil de ler. É só estarmos atentas aos sinais e tentar resolver, calmamente, o problema.
Por vezes sou cruel e deixo-a chorar para que eu possa ir beber água ou ir ao quarto de banho, não lhe faz mal nenhum esperar uns minutos. Para lhe dar de comer convém estar tranquila e completamente disponível para ela.
Até hoje, não sabe o que é uma chupeta, por ser um bebé calmo e tranquilo, tenho conseguido sempre que pare de chorar, com alguma facilidade. Pergunto-me até quando é que a chupeta estará fora deste quadro.
Estive agora 2 horas de volta dela a trocar fraldas e a dar-lhe leitinho, agora que adormeceu no quarto quentinho e sonha com os papás e com coelhinhos fôfos, aproveitei para vir escrever este post. ;)
Espero que este post sirva para alguem. Isto foi o que aprendi nestes últimos dias.
Beijos para todas!!!
***

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

A mais linda história da minha vida

Falso alarme:
Na madrugada do dia 5, por volta das 05:30, achei que estava já na hora de ir para a maternidade. Tinha contrações espaçadas por menos de 10 minutos. Cheguei lá, ligaram-me ao CTG, tinha 1 dedo de dilatação e afinal as contrações não eram regulares. Às 10:30 da manhã mandaram-me embora. Era melhor estar em casa à espera que no hospital. Fui dormir, comer e depois ver uns filmes que tinha alugado, verdade que não vi grande coisa, pois entre suspiros de desconforto e calores, vinham as contrações. O papá da Rita disse-me que por volta das oito da noite saía de Lisboa.

A hora:
Fui para a cama porque não valia a pena estar a stressar na sala, e se pudesse ainda dormia. Às 10 da noite, já as contrações eram mais proximas. Levantei-me, tomei banho e vesti-me, acordei a minha mãe e disse-lhe que estava na hora. Entre a porta de casa e a porta do carro tive três contrações (estava na hora). Um vizinho que chegava a casa ao ver-me sentada no muro do canteiro foi logo ajudar a minha mãe a tirar o carro do estacionamento fazendo parar o trânsito para que eu não tivesse que esperar, é que realmente já tinha contrações de 3 em três minutos e essa era a minha janela para entrar no carro.
Assim que cheguei ao Hospital do Barlavento Algarvio entrei logo, passei pela triagem a correr entre respirações e contrações e lá fui de cadeirinha para a maternidade. Fui observada e concluiram que tinha três dedos de dilatação, segui para a sala de partos. Como só tinha direito a mandar subir uma pessoa, a minha mãe foi para casa e fiquei à espera que o papá chegasse. Perguntaram-me se queria epidural, e eu... disse que sim- sim, por favor. As contrações já eram fortes e pensar poderia ficar sem dores era muito animador. Assinei o termo de responsabilidade e fiquei à espera que o anestesista chegasse.
Fiquei sózinha a soro na sala de partos, foi bom, não tive de falar com ninguem, fui fazendo respirações, aguentando as contrações e não gastei energias com conversas. As contrações eram anunciadas pelo aumento do ritmo cardiaco da bebé, virei a máquina de CTG para fora do meu campo de visão. Eu sabia que ia ter contrações, lidaria com elas quando chegassem, não havia necessidade de se fazerem anunciar porque aumentava o meu stress. O anestesista não chegava e eu estava a ficar preocupada. As dores aumentavam e, cada vez mais, tornava-se difícil não perder a compustura. Foi a única vez que toquei à campainha. -Olhe, desculpe, e o anestesista??- Já foi chamado, assim que puder ele vem.
Resignada com a minha sorte lá continuo com as ditas respirações. Por volta da meia-noite e meia chega finalmente o papá. A felicidade!!!!
Prontamente expliquei-lhe como fazer massagens nos rins para me ajudar a suportar as dores, é que as contrações eram agora violentas e apanhavam-me toda a zona da cintura e pernas, aí o pobre esfregava energicamente as minhas costas e eu abanava a mão e apontava para os rins pedindo assim que ele esfregasse com mais ou menos intensidade.
E assim fui fazendo o meu trabalho de parto, esperando pelo dito anestesista e sem um ai de queixume. As dores eram, de facto, violentas. Já era visitada pelas enfermeiras que mais tarde me assistiram, que vinham ver se eu ainda não tinha partido a sala de partos. A medo referi de novo o anestesista usando como desculpa o facto de que tinha medo de gritar, porque assim que abrisse a goela, não sei se conseguiria voltar a fechá-la. Aí, talvez por pena de mim, deram-me oxitosina no soro e saíram, assim que voltaram já eu estava com respirações rápidas. Fui repreendida - então?? que respiração é essa??- É.. puff puff, respiração de quem, puff puff, quer fazer força, mas que não sabe se pode, puff puff - Não quer nada fazer força, mesmo agora lhe demos o soro, faça lá as respirações pausadas- (ai o raio) puff puff , não, eu QUERO fazer força - ora deixa cá ver isso, ahhh pois quer sim senhores!!!- e lá vai ela confirmar a dilatação, ao que eu dizia desesperada- saia daí querida, saia que eu vou fazer força. Algures no meio de tudo isto a parteira rebentou-me o saco amniotico.
Foi chamar o médico, esse, contráriamente ao anestesista, apareceu logo. E começou assim a minha última fase. O alivio de poder fazer força foi enorme, as dores ficaram logo para segundo plano e fiz força como nunca pensei fazer. Pedi ao pobre pai que me ajudasse a levantar a cabeça para agarrar a cama e fazer força. E lá ia fazendo o que aprendi no curso pré parto, pensei que me fosse esquecer de tudo com as dores, mas não, vali-me do que aprendi para minimizar o sofrimento. Nesta altura do campeonato médico e a parteira olharam um para o outro e concluiram que era melhor fazer uma episiotomia, eu prontamente disse -cortem!!!!
Ia eu fazer força, pedi para o papá me levantar a cabeça e eles aproveitaram e cortaram, ora o pobre estava a olhar à espera de ver a filha a chegar e depara-se com uma cortadela, aí disse de mansinho- vou apanhar ar. Vi-o sair e vi também o anestesista à porta da minha sala de partos, não vou escrever o que pensei porque não foi um pensamento bonito. Agora já tinha pasasado o pior.
Saíu o pai por uma porta e saíu a filha por outra! Era dia 6 de Dezembro, 02:03 da manhã.
Senti-a passar cá para fora, não vou esqueçer-me nunca. Estava abismada, que linda bebé, já veio a chorar e era o meu primeiro contacto com a nossa filhinha.
O pai voltou para dentro já com cores nas faces.
Foi posta em cima de mim a chorar, fizeram a recolha das células estaminais e eu olhava embevecida para ela e para o papá. Ficámos a olhar para ela e diga-se, é um momento mágico, estranho, mas mágico. Ora estava eu a fazer força e no momento seguinte era mãe!!!
Levaram-na para a secar e eu lá fiquei como um franguinho, ainda com a placenta por sair e à espera de ser cozida. A parteira ia dando os pontos e eu reclamava que estava doida para juntar os joelhos, que me parecia que ela estava a fazer ponto cruz, e que estava doida para sair dali. O Apgar da Rita foi 10 e tinha 3,290 Kgs. Suspirei de alivio e continuei a ser suturada. Quando finalmente acabou aquele calvário de corte e costura juntei os joelhos com dificuldade e fui para o recobro a tremer de tanto esforço. Dei de mamar à minha bebé com o papá ao pé de nós todo babado e desde esse momento que, todos os dias, nos apaixonamos mais um pouco pela nossa maravilhosa filha.

O Hotel:
Fiquei três dias no CHBA. Só tenho coisas boas a dizer. É um hospital amigo dos bebés. Fiz o trabalho de parto com som da RFM, ajuda muito. Tem um "Cantinho da amanentação" para que possamos colocar dúvidas, as enfermeiras são muito prestáveis e lá aprendi com elas a fazer as massagens para as cólicas, ajudaram-me com a amamentação porque a Rita não queria saber do meu peito esquerdo, sempre que pedia ajuda, elas vinham dar o seu melhor. Os quartos da maternidade têm três camas e uma casa de banho, têm luz natural e de noite uma luz de presença. A comida... OK! É um hospital, mas de resto, não podia ter ficado mais satisfeita.

Conselhos:
Façam as respirações, não diminui o sofrimento, mas ajuda na concentração e enquanto estamos a controlar as respirações não estamos a divagar sobre a dor.
Não gritem, não ajuda em nada, perde-se o controlo e gastam-se forças preciosas.
Mantenham o bom humor e vão brincando com as parteiras, rir alivia o sofrimento. (olhem amigas, depois do parto, rir, é doloroso, aproveitem antes).
Mantenham a calma. É a melhor maneira de controlar o corpo.
Amamentem, além de ser o mais saudável, é um laço muito bonito, se puderem, façam-no.
Tentem descansar antes do parto, todas as forças são necessárias.

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Algumas fotos


Não dá para escrever muito, ainda estou um pouco dorida. Queria deixar-vos algumas fotos para as amigas que não a podem vir conhecer!

Desde já agradeço a todos o carinho e o apoio que nos têm dado.





Estas foram as primeiras horas da Rita:











Com 4 dias:














Com 5 dias:

Banhito:














Pós-banho e pronta a sair:

domingo, 9 de dezembro de 2007

Nasceu a Rita

No dia 6 de Dezembro, às 02:03, nasceu em Portimão a nossa linda bebé. Para nós a mais linda do mundo. Foi um parto natural, sem epidural e após uma malvada epistomia chegou a Rita com 3,290 Kgs, cheia de saúde e com o APGAR em 10. Vinha a chorar e eu limitei-me a olhar para ela sem acreditar que aquele bebé lindo fialmente tinha chegado. Foi imediato, conquistou-me e arrebatou-me o coração de tal forma que ainda estou abananada de tanta paixão.
Queria só deixar estas palavras para que saibam que estamos bem, felizes, e que por muito que deseje, não consigo escrever mais porque....... não me consigo sentar!!!!
Mas não ficaria completa a minha alegria se não pudesse cá passar para vos contar. A todas vós, obrigada por partilharem comigo os meus e os vossos momentos, sei que estão felizes por nós assim como eu fico por cada nascimento das bebés destas ciber mamãs!!!

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

40 semanas

(Toda eu sou nariz, olhos e tudo o que pode inchar)
E a lua mudou... E ela não chegou!!!
Será que vai esperar pela nova mudança de lua, dia 9??
Esta bebé adora estar na minha barriga, está quentinha. Tirando umas contrações esporádicas, continuo que nem uma lua cheia.
O pai veio ver-me, já estava cheia de saudades. Falámos muito com a barriga, o pai dizia-lhe que estava aqui à espera dela, que a queria conhecer, que não a iamos deixar passar frio, mas ela, nada.
Esta é epoca é de aniversários. Acho que ela sabe e ficou a aproveitar todos os docinhos e jantarinhos e possivelmente quer uma data que seja só dela. Não nasceu no meu dia, nem no dia da avó Nela, hoje é o dia de anos da avó Bebé. Já me disseram que a barriga estava mais descida, mas eu... não noto. Contudo agora, já começo a pensar no parto. Sei que vai chegar a hora muito em breve e pronto, vem um friozinho na barriga. Penso também no pai que foi hoje para cima e que não tarda nada está a voltar para cá como se fosse um iô-iô.
Cada dia que passa fico mais rebolante, tenho que ser ajudada a sair da cama porque me doi tudo. Sou empurrada para sair do carro, sou empurrada para fechar a porta do carro e se sou eu ao volante e estou sózinha, faço mil manobras para conseguir sair de lá de dentro.
Para andar na rua tenho que pôr mudanças, inicio a marcha devagarinho depois ponho a segunda e lá vou eu a abanar por todo o lado já com alguma velocidade, mas nunca chego a meter a quarta. Já não dá.
Daqui a dois dias tenho consulta, vamos lá ver o que me dizem desta vez. Acho que me dá uma coisinha má se ele me disser que ainda não é esta semana.
Mas pronto, eu aguento. Que remédio ;)

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

10 coisas que nunca disse

Desafio proposto pela Simone
Vai ser difícil...

1- Durante quase 5 anos pensava todos os dias em bebés.
2- Sou filha única e gostava de ter tido maninhos e gostava de os dar à Rita.
3- Já sabia que ia ter uma filha, mesmo antes de a termos feito.
4- O meu trabalho é cantar.
5- Custa-me muito olhar-me ao espelho, estou de facto transfigurada, sei que passa mas fico triste de me ver assim como uma bolacha.
6- Sou viciada em séries de televisão e costumo vê-las aqui
7- Não sofro se não puder comprar roupa nova, sofro se não puder comprar livros.
8- Adoro viajar.
9- Sempre fui morceguito, adoro estar acordada de noite e detesto acordar cedo.
10- Da vida "só" quero uma coisa, ser feliz ;P

Barriga feliz vai ao médico

Acordei e foi com enorme surpresa que vi papos por baixo dos meus olhos. Papos? Esta agora é nova. Pensei, está quase, se estou com novas partes do corpo inchadas, só pode ser boa notícia. À hora da consulta lá vou eu toda rebolante e quando chego ao médico dizem-me logo que está um bocadinho atrasado. Vou sentar-me e enquanto estive à espera, quase uma hora, ia soltando suspiros. Já não tinha posição e os pés começaram a inchar. Muito!!!
Ok! Vou então admitir a minha falha, no dia anterior tinha comido uma pizza de anchovas, alcaparras e queijo de cabra curado. Com tanto sal, impossivel seria não insuflar. Mas a minha tara não é o doce... é o sal!
Mandam-me entrar. Pergunta logo o médico, então? Como está?- Igual ao que estava mas com mais uma semana!!!
Então a barriga já desceu?? Eu embico com o nariz para baixo, observo-me, embico com o nariz para cima e faço cara de quem não nota nada de diferente.
Então vamos lá ver isso, vamos fazer mais um toque. Eu logo a rir por dentro, pensava, é desta, ele vai dar o tal toque para acelarar. Ele toca, e volta a tocar e mais um pouco, faz um hum...
Conclusão: - Até para a semana minha amiga, ainda vai dormir descansada mais esta semana. Logo em grande desespero faço notar que eu durmo descansada, o meu problema é quando estou acordada. Esta forma redonda não foi feita para estar sentada em lado algum, nem para andar, talvez para estar dentro de água como um pato a boiar, mas bolas, estamos quase no inverno tá frio para estar de molho!
Mas não, o colo está fechado, diz o médico que está tão subido que nem lá tocou.
Eu alego que já é desumano esta espera e o médico goza dizendo que não, que é bastante humano. Pergunto se devo ir andar, fazer caminhadas, sei lá! Ele disse-me que se tivesse vontade podia ir, mas que com este tamanho e tão inchada seria uma sorte conseguir dar uns passos. Lá fui embora, com a próxima consulta marcada para quinta feira que vem. Arrastei-me até ao carro, que isto de andar já é para mim uma arte complexa. Fui para a esplanada da praia da Rocha inchar mais um pouco. O dia estava lindo, assim como hoje. Os papos lá desapareceram. No fim da tarde fui ao clube de video e passei o resto do dia a ver filmes.
Os amigos começam a telefonar já desconfiados mas a resposta é sempre a mesma, ainda não...
Hoje acordei com os ditos papos e lá me vou movimentando pela casa com sacrificio. A minha mãe olhou para mim e com um ar de bruxa disse: Domingo! É o que têm dito. Acho que só do dizem porque é o dia do meu aniversário, domingo vais ter uma prenda!

Será? Sei lá.
Vou sair agora e vou de novo para a praia da Rocha, dê lá por onde der vou andar, se inchar, azar, mais do que já estou só se rebentar. Também nunca ouvi dizer que alguma grávida lhe deu um fanico por ter falta de ar ao andar.
Ohhhh raio da espera ;P

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Novidades

Nasceu o Lourenço!!!!!!!
O diário da biscoitinha já tem um bebé novo para seguirmos atentamente!!!
Parabéns Biscoitinha!!!!!!!

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Recordações de infância


Nasci em 1971.
Era o mundo tão diferente. Tinha uma televisão pequenita para toda a família, a preto e branco e só tinhamos 2 canais. O transmissor da Foia desligava-se à meia-noite e muitas vezes ficávamos sem saber o resultado do festival da eurovisão, para nosso grande desgosto pois era sempre um acontecimento importante. Também o era a hora dos desenhos animados do Vasco Granja, pelo qual esperava religiosamente na expectativa de ver o Calimero ou o Speedy Gonzalez, às vezes saiam-me na rifa aqueles desenhos que vinham da Europa de Leste e que não eram fôfos nem engraçados, muitos feitos com técnicas diferentes como plasticina. :(
Para brincar tinha os meus carrinhos de metal, ou um comboio com o qual aprendi a palavra "ferrugem" pois de tanto brincar e levar para a banheira acabou por se estragar. Tive uma boneca Tucha, morena com fato brilhante de bailarina, mas só uma, nada de grandes luxos, tinha um serviço de Chá de porcelana e era grande fã dos Legos. Mais tarde também me iniciei na Playmobil. Tinha livrinhos da Anita e acreditem ou não, alguém me deu um livro do Noddy, era em Inglês e só muitos anos depois voltei a ouvir falar do dito, agora personagem famoso. Tive livrinhos do ursinho Paddington que eu adorava. Adorava o Snoopy e ainda hoje o adoro. Via a rua Sesamo, com o Egas e o Becas, os marretas!!!
Tinha rituais que partilhava com os meus vizinhos, como trocar livros da Disney que eu descia para as varandas deles por um meio muito sofisticado. Usava um cestinho atado por um cordel.
Ia para a praia do Vau no Verão com os meus avós e era tudo tão diferente de hoje, havia praia para todos, não havia falta de espaço. Eu tinha um lindo calçãozinho da Heidy e uma toalha do pato Donald.
Os Natais eram mágicos, a tv passava filmes bonitos da Disney, vinha a família toda e comiamos coisas que só mesmo no Natal havia paciência para fazer. As fatias douradas, os rissois da minha avó, matavam um pobre perú que era engordado só para esse fim e depois do jantar... esperávamos pela meia-noite para abrirmos os presentes.
Como vivia em Portimão, não havia muita coisa. Comprar brinquedos, só em lojas especiais, nada de centros comerciais ou hipermercados repletos de briquedos. Iamos a Espanha. Iamos até Vila Real de Santo António e depois apanhávamos o barco para Ayamonte. Compravam-se toalhas, cortinados, acolchoados e gel de banho Badedas. Isto quando a peseta valia menos que o escudo. Era sempre uma festa, os nuestros hermanos tinham mais coisas para a criançada. Anos mais tarde inverteu-se a rota e eram os espanhois que cá vinham às compras porque o escudo perdeu o valor.
Muitas vezes trocava de brinquedos com coleguinhas pois não havia fartura. Este fenómeno apareceu juntamente com os Jogos electronicos de bolso. Como eram diferentes iamos trocando para podermos jogar coisas diferentes.
Lembro-me que chegava da escola às 16:30, a minha avó ia buscar-me à camioneta, passavamos na merciaria e ela comprava-me uma bomboca, sempre de baunilha e rumavamos à Casa Inglesa para passarmos a tarde. Era lá que encontrava os meus amigos, foi lá que aprendi a andar de Skate e de bicicleta. Não sabia usar os travões da bicicleta então para parar embatia violentamente contra as barracas da feira do livro! O efeito era o mesmo, parava.
Ainda me lembro do meu primeiro relógio digital! Para minha grande tristeza não era aquele que eu queria, mas tinha os segundos e luz para ver à noite. Um luxo!
Música, ouvia as K7s do meu pai :) Não me posso lamentar, ele sempre teve bom gosto, ouvia Pink Floyd, Doors, música clássica. Por vezes ele levava-me ao cinema ao Domingo, vi o Bamby (coitadinho), a Branca de Neve, o Papuça e Dentuça, a Dama e o Vagabundo, ou seja, aquilo que havia para ver na altura. Vi também a Mary Poppins, que me lembro ter adorado!
Na televisão era uma festa quando dava um filme e geralmente eram filmes para a família, recordo com alegria os filmes do Jeery Lewys em especial o Cinderelo dos pés grandes (vá-se lá saber porquê).
As roupas que a minha mãe me vestia, que tristes, nada de moda infantil... eramos uns desgraçados com aqueles fatos de treino de mousse e as sapatilhas de velcro. :)
Mais tarde tive um spectrum e foi o inicio da era digital para mim. Eram horas a jogar ao Horácio vai esquiar, tardes perdidas com os colegas a jogar Chucky Egg e Maniac Miner. Fazia concursos de dança com as amigas e vibrávamos ao som de U2, Marillion, ZZ Top, Van Halen, Wham e sabe-se lá mais o quê que ouviamos em K7 gravada de algum programa de rádio ou em Vinil.
Descobri que gostava de ler e nas férias grandes passava noites em claro a ler ficção ciêntifica da coleção da Europa América, iniciei-me com Robert Heinlein, depois corri todos os livros da Agatha Christie em que entrava o Poirot. De dia era a praia, o dia todo, à noite o jardim da Casa Inglesa, onde estavam todos os meus amigos. Comiamos gelados das máquinas, os sabores não eram muitos, baunilha, chocolate, chantili e morango. Ainda hoje gosto desses gelados.
As nossas festas de anos. Tão diferentes das de hoje. Lembro-me da minha mãe começar a fazer bolos na noite antes, e a única coisa que vinha de fora era o bolo de aniversário. Era um bolo excelente e que aparecia em todas as festas só mudando as flores de rosa para azul, conforme o sexo do aniversariante.
Eramos felizes!!!

39 Semanas


Será certamente das últimas fotografias de futura mamã, faz hoje 39 semanas que embarriguei e acreditem que ao vivo estou estou bem maior.
A barriga está grande, redonda e bonita, eu estou grande, redonda e inchada. Já tenho algumas contrações e ontem já me agarrava à bancada da cozinha enquanto fazia a janta. O espaço já não abunda e sinto os pés, joelhos cotovelos da Rita a fazerem pressão na minha barriga. Para quando???
A lua já mudou, agora só dia 1 ;)
Estou mesmo a ver que vou passar o meu aniversário na maternidade assim como a minha mãe passou.

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Ainda barriguda

Amiguitas, sei que tenho andado desaparecida. Como não estou na minha casa, alterei a minha rotina e venho à net poucas vezes, hoje decidi passar aqui para vos deixar novidades. Não há muitas, a Barriga está imensa, eu estou inchada e ofegante, passei a tomar kompensan por causa da malvada azia e na visita ao médico ele disse que ainda nos deviamos ver para a semana que vem...
As amigas vão ligando a perguntar se a Rita já chegou, dão-me forças com a compreensão de quem já passou por isto e eu lá vou aguentando este barrigão e a minha frenética bebé (valha-me Deus que não pára). Já tenho umas pontuais contrações, sobem uns calores doidos e fico de língua de fora. Mas depois passa tudo e eu lá fico à espera. Andar... só muito devagarinho. Como kiwis e bebo muita águinha, durmo muito bem, nada de insónias e parece que voltei aos primeiros meses porque ando cheia de sono outra vez, especialmente depois de comer. Resumindo, não me possso queixar de nada, é tudo normal e está tudo como deve ser.
Tenho lido muito, visto muitos filmes e saio quase todos os dias de casa mas não duro muito tempo na rua, custa a andar e incho terrivelmente, sinto-me um tranbolho e admito parecer-me com um. :D
Oiço constantemente:
- Com essa cara, deve estar mesmo para acontecer;
- Não tens frio???
- Estás tão grávida;
- As meninas fazem as caras das mães incharem muito;
Pois, a cara está cómica, tenho um nariz que parece uma adaptação para um ambiente em que escasseio o ar, está enorme.
Frio??? Nem pensar, só à noite é que o casaco entra em cena.
Não estou tão grávida, grávida é uma das coisas que ou se está ou não. Não se pode afirmar que se está um pouco grávida.
Quanto às meninas fazerem isto à cara das mães... Filha, estás perdoada, mas vem depressa que a mamã já está tão farta de estar à espera.
Ontem no médico estive com um rapaz que fazia parte do meu grupo de liceu e que é agora papá há 6 dias. Fiquei parva a olhar para a bebé dele. Tão piquinitinha, tão... cruzes, não se irá partir?? O que vou eu fazer com uma bichaninha tão pequena...
E pronto, vou aguentar-me na espera, é mesmo assim. Vou passando por cá e hoje vou visitar os vosso cantinhos que já tenho saudades.
Beijocas

Gravidez trigésima oitava semana

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Na terra dos Mouros

Domingo fiz as malas e lá me fiz ao caminho. As recomendações eram para vir devagar e parar muito pelo caminho. Parei uma vez, nem foi preciso mais, cheguei cá em três horas toda partida de vir sempre na mesma posição. Assim que cheguei, transformei o meu quarto numa zona. Saquinhos e coisinhas por todo o lado, ver as roupitas da Bicha, quatas eram, lavar as que ainda estavam nas embalagens. Na segunda feira iniciei a ronda de visitas, não sei se foi da viagem, mas voltei a ficar inchada. Ouvi muitas pessoas dizerem que até tinha ar de quem não passava daquela noite de tão bolachuda que estáva, mas cá estou, ainda barriguinha e inchadinha. Fartei-me de andar nestes dias, comprar o que estava a faltar, ver a família, mas tenho ficado dia sim dia não em casa poprque estou a ser atacada pela ciática. Desenvolvi um andar arrastado, como a Dunguinha, é que realmente arrastar a perna pode paracer mal, mas não faz doer!!!!
Fartei-me de rir com o meu pai, quando me viu exclamou de lágrima no olho: -Filha, como cresceste!!! :D
Agradeço a Birkenstock que faz sapatos que alargam, com os quais tenho andado. As pessoas olham muito para eles :( mas não há mais nada que sirva, ainda empacotei umas sapatilhas, mas não dá, não caibo. Já não há nada que me sirva, é lavar e usar. Viva o meu vestidinho de grávida, as minhas calças de linho (espero que não chova) e até o macacão já me aperta. Diz que faltam mais 17 dias. A Morgy telefonou e lá aprendi que a malinha de bebé deve levar uns extras. Tinha feito uns pacotinhos com lacinhos para cada dia, mas diz que os bichinhos fazem muita porcaria então lá fui comprar umas roupitas interiores à Modalfa não vá a bebé ficar com frio. Ela disse-me que esta era a altura mais aborrecida e tem razão. Estou literalmente à espera. Todos os dias fico na expectativa. Sair de casa custa-me muito, fico muito cansada, mas faço por sair para não me aborrecer. Tenho lido muito e vejo muitos filmes :(
Hoje lá me decidi vir para o computador da minha mãe.
Tenho tudo pronto, a minha mala e a da bebé, o kit da recolha das células estaminais, as análises, ecos e boletim de gordinha. Está tudo à porta. Já tenho médico cá em Portimão, e tenho a segunda consulta na próxima quinta feira. Mandou-me apontar o número de movimentos da bicha e ela lá faz o seu trabalho. Ontem tive de esperar até às 9 da noite para que ela fizesse a sua dança. Hoje, já fez a dança dos 10 passinhos, até mais e continua alegremente a chutar-me enquanto escrevo. No domingo depois da viagem deu aqui umas voltas que me assustaram, vi um grande alto a passar de um lado para o outro, estilo alien. Na terça com a ecografia constatei que passou do lado direito, onde esteve tantos meses, para o lado esquerdo. Crava os pézinhos nas costelas e eu dou grandes saltos. Sinto através da barriga as suas pernocas e já estou doida para a ver. Como será a nossa baby?

sábado, 10 de novembro de 2007

Jeff Dunham - Achmed the Dead Terrorist

Não resisto em postar este video, é hilariante!!!

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

A Net

Hoje estou com os dedos quentes para teclar.
No seguimento do post anterior queria fazer um enaltecimento à net! :D
Todos temos pontos de viragem na vida. Momentos em que uma escolha se torna um novo caminho. Não sou uma pessoa que diz que não mudaria nada, acho que aprendemos cada vez que fazemos escolhas e que nem todas são boas, daí que se pudesse mudaria algumas coisas que fiz e outras que não fiz.
A net foi para mim um caminho muito importante, toda a minha vida mudou depois dela.
Em 1987 fiz um upgrade ao meu pc para poder instalar a internet. Não era nada do que é hoje e foi com grande curiosidade que entrei na pt net e no Mirc (lembram-se?). Com carregamentos por multibanco, lá ia eu de motinha carregar a net a meio da noite antes que os créditos acabassem para que as conversas continuassem, andava eu pelo canal Portugal com o nick de Kitti (os meus amigos ainda me chamam assim). Com o tempo fui visitando outros canais e tornei-me presença constante. Num canal de música conheci o Mirkr, um rapaz também de Portimão e que tocava guitarra. Eu também tocava umas coisitas e depois de algumas conversas combinei encontrar-me com ele, que era a única pessoa da mesma terra que eu. Lá tivemos o nosso encontro no dia 13 de Feveriro, sexta feira, noite de lua cheia. Fomos para o molhe da praia da Rocha e levámos as guitarras e uma garrafinha de vinho. Desde esse dia auspicioso que nos vemos todos os dias, estamos juntos há quase 10 anos e ele vai ser o pai da nossa Bebé.
Noutros canais conheci o resto das pessoas com que ainda me dou. Foi o Serket que nos indicou o apartamento onde vivemos 9 anos em Benfica. Muitos continuam na minha vida, e outros que embora não me tivessem acompanhado durante anos, reentram de novo no meu universo e nos meus pensamentos. Foram estas pessoas da net que serviram de elo para outras, inclusivamente os músicos com que trabalho. Quase todas as pessoas com que lido estão ligadas à primeira escolha, a de me ligar à net.
Não deixa de ser curioso como tão simples escolha condicionou a minha vida de tal forma.

Ida à médica

Fomos pela manhã a Lisboa ver pela última vez a nossa médica. Já arranjei médico em Portimão e até a consulta já está marcada. A nossa médica disse que a Bebé estava óptima e que estava para ficar até ao final da gravidez. Portanto, será de esperar mais umas semanas de arredondamento barrigal.
Ouvimos o coração que batia ritmado e forte embora agora mais lento do que no início. Fui felicitada por nunca me ter queixado muito apesar da minha gravidez ser bastante pesada. Também ganhei o mimo de não ter aumentado muito de peso e por ter conseguido manter os mesmo quilitos nestes últimos meses (para grande surpresa minha. Diz ela que sou uma grávida muito bem disposta e que isso ajudou muito. Eu ponho-me a pensar... Então.. de que vale andar preocupada, ou triste? Felizmente até agora, não tenho nenhum problema, as análises estão sempre impecáveis. Ok, não me consigo quase mexer, para tirar o rabo da cadeira é um filme, agora no fim voltei a inchar e até os dentes parecem ter inchado, juro! Tenho cara de constipada ou de mal acordada. Enfim, grávida redonda, inchada mas de sorriso no rosto. Ando cá por casa sem saber bem o que fazer à vida, já chega de lazer e a médica diz que tenho que descansar muito, lolol, mais ainda?
Após a consulta fui ter com uma amiga que me levou a um restaurante italiano onde papei massa (adoro) e depois à noite fui de novo comer fora e aí deliciei-me com uma sopa tão boa que acabei por trazer mais par casa, a Senhora do restaurante ofereceu-ma!!! (Tal não foram os elogios à sopinha que nem a paguei nem nada, vantagem de viver na aldeia).
Estes são os meus últimos dias cá em casa, depois do fim-de-semana vou para Portimão.
Vou carregada de livros e com o resto da roupa da bebé.
Vale-me a minha mãe ser toda moderna e ter net em casa dela. A cidade não é muito grande e vou poder ir ao cinema a casa das tias, aos sogros e quem sabe... passear na baixa (... duvido...).
Ponho-me a pensar neste blogue, foi das melhores coisas que fiz. No início pensei em fazer estilo diário, só para mim numa de despejar ansiedades, master encontrado esta comunidade foi algo maravilhoso. A partilha de experiências, os mimos que damos e recebemos, o carinho que ganhei por pessoas que nunca vi, as preocupações quando vejo posts menos alegres, è incrivel.
Um grande beijo para todas e todos.:D

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Desafios

Se fosse uma hora do dia, seria a meia-noite
Se fosse um astro, seria a lua (eu sei que não é um astro)

Se fosse uma direcção, seria frente
Se fosse um móvel, seria um puff

Se fosse um líquido, seria água
Se fosse um pecado, seria a gula

Se fosse uma pedra, seria "a rollin' stone"
Se fosse uma árvore, seria um salgueiro

Se fosse uma fruta, seria uma melancia
Se fosse uma flor, seria uma frésia

Se fosse um clima, seria mediterrânico
Se fosse um instrumento musical, seria um piano

Se fosse um elemento, seria Fogo
Se fosse uma cor, seria laranja

Se fosse um animal, seria um gato
Se fosse um som, seria o grave de uma corda

Se fosse música, seria Lilac Wine de Nina Simone
Se fosse estilo musical, seria Blues

Se fosse um sentimento, seria melâncolia
Se fosse um livro, seria a Insustentavel Leveza do Ser (LOLOLOLOL)

Se fosse uma comida, seria massa com queijo
Se fosse um lugar, seria uma praia

Se fosse um gosto, seria agridoce
Se fosse um cheiro, seria a frésia

Se fosse uma palavra, seria mamã
Se fosse um verbo, seria Amar

Se fosse um objecto, seria um disco
Se fosse peça de roupa, seria um cachecol

Se fosse parte do corpo, seria uma boca
Se fosse expressão facial, seria um sorriso

Se fosse personagem de desenho animado, seria o garfielfd
Se fosse filme, seria uma comédia

Se fosse forma, seria redonda
Se fosse número, seria 2

Se fosse estação, seria Verão
Se fosse uma frase, seria "vou ser mamã"



Perninha gorda



Ontem estivemos a apalpar a pernita da nossa bebé, ela está já há muito de cabeça para baixo e enquanto do lado esquerdo estava uma barriga fofa, no lado direito estava uma perninha rija. A Bicha movimenta-se muito mas agora, já com falta de espaço, não se pode escapar a ser apalpada. Mesmo agora enquanto escrevo tenho a perninha dela a dar sinal no lado direito, eu aproveito para a apalpar e falar com ela. Passou a maior parte do tempo nesta posiçao, cabeça para baixo e do lado direito da barriga, adivinho logo qual o peito ela vai preferir, o esquerdo.
Desde cedo que os dedos da minha mão direita ficaram com as pontas dormentes, pois agora já não, alguma coisa mudou cá dentro, deve estar pertinho da hora, ela já deve ter saído do sítio que me causava a dormencia. Tenho agora 91 quilos (eu sei, é terrivel), mas até pensei ganhar mais do que ganhei. Doem-me as verilhas e as ancas e de noite já me custa muito levantar e dar uns passos, mas depois de estar em pé e caminhar um pouco lá ganho novo alento.
Hoje sonhei que estava em trabalho de parto hihihi. Mas no sonho é sempre fácil :D
Que os meus sonhos se realizem.
No sonho estava eu já a ver a cabeça da Rita, certo, então ia telefonado para a mãe, para a ambulancia, tudo nas calmas.
Já falta tão pouco, parece um sonho mesmo, a nossa bebé irá chegar dentro de um mês.
:D
Beijos para todas que nos têm acompanhado, voçês têm sido excelentes companheiras deste clube de barrigas e mães.
**

sábado, 3 de novembro de 2007

Saudades

Ontem ao saír do Jumbo, carregada com o carro de compras, rebolei frenéticamente para o elevador que se ia a fechar. Foi uma enorme derrapagem, eu o carrinho de compras, tudo a derrapar e as pessoas a rirem de uma grávida que derrapa mais depressa do que anda. Que saudades da mobilidade ágil.
A minha mãe telefonou-me a contar de uma viagem baratinha para o méxico. Certo! Ia mesmo de barrigona para lá! A mãe acabou por ir passear a Barcelona e eu claro que me fiquei pela aldeia, podia lá eu ir andar Kms para Espanha, ainda me nascia lá uma Carmencita. Saudades das férias.
E trabalho... como se não precisasse de dinheiro. Parece que é quando não se pode que aparecem as propostas. Para mim ir trabalhar implica sempre um ou dois dias fora de casa se for por cá, ir para o estrangeiro já nem se põe em questão, com quatro meses ainda fiz uns trabalhitos, mas depois disso arrumei os sapatinhos e as roupitas porque já nao dava. Viajar, andar carregada e o ar a faltar, falta de graciosidade, não é que seja bailarina, lolo, mas bolas agora sou um rebolito.
saudades de cantar com os pulmões cheios de ar, agora estão reduzidos, saudades de dançar aos saltos.
Saudades de ir passear o cão à rua, mas no meu estado o mais certo era o cão me ir passear a mim ou mesmo arrastar-me, conclusão, o Furacão não vai de trela à rua, vive no terreno à volta de nossa casa e faz-me companhia a mim e persegue ao pobre gato como forma de exercicio.
Ir ver concertos está fora de questão, não dá para tar tanto tempo em pé.
Tenho saudades da minha roupita, já são muitos meses de jardineiras (coisa que não tinha pensado em usar. Agora do que não tenho saudades é de reclamar, nisso eu sou exímia. Só deixo de o fazer quando estiver sem voz ou a morrer.
Para hoje, reservei um dia de actividades familiares, em casa de uns amigos que têm um lindo bebé. :)
Disso não reclamo eu
;P

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Um dia no Hospital

No sábado passado senti-me desconfortável, umas dores de barriga e uma grande pressão na bexiga. Pensei eu que era só mais uma coisa da gravidez, que era normal ir à casa de banho de hora a hora. A bebé já está grande e a bexiga, coitada, já tem menos espaço. Fui andando assim, mas por volta da segunda feira fiquei desconfiada que era mais do que isso. Talvez uma infecção urinária. Na terça quando me levantei, depois de passar a noite a ir à casa de banho, fui tomar café e achei por bem ir visitar o Hostital de Torres Vedras. Tenho Médis, mas como mudei há pouco tempo para cá, ainda não sei onde posso ir com o meu sistema de saúde. Fui então para o Hospital. Fizeram-ne a triagem, nem esperei muito na sala comum, fui logo para a maternidade e depois de vista fiz análises. Esperei e fizeram-me o CTG, o meu primeiro. Bom, resultado: tinha uma infecção urinária, e com o CTG fiquei a saber que ainda não tinha contrações e que a bebé estava bem. Ainda passei um dia com muito desconforto, mas hoje já me sinto fresquinha. Falta agora fazer as análises para ver se a dita desapareceu. Fui muito bem atendida, está bem que estive no hospital quase 5 horas, mas pronto. Fiquei surpreendida por não ter pago nada, grávida não paga!

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Nesting


Apesar do meu enorme tamanho, esta semana tenho andado a fazer o ninho freneticamente.
Deve ser a aproximação da hora ou o facto de estar farta de não fazer nada. Tenho uma pessoa que me ajuda com as tarefas domésticas, então deixo para ela o mais difícil como limpar por baixo dos moveis, passar a ferro, lavar a casa de banho, etc.
De resto, eu tenho feito máquinas de roupa, estendido, dobrado, as janelas estão a brilhar, quando ela chega a casa de banho está preparada para ela a limpar, os tapertes já estão à janela, a cama já está com os lençois novos em cima, a cozinha já está lavada e até me dou ao luxo de varrer a casa, que é bem grande, para grande desconsolo das minhas costas que ficam feitas num 8. Assim que ela chega, lá vou eu limpando e tirando o pó, plo menos faço as tarefas a meias e acompanhada.
Um grande consolo para mim é ter recomeçado a ler, acabou-se o bloqueio, então leio como doida e já estou no fim do 2º livro desta semana. É o queimar dos últimos cartuxos, daqui a duas semanas vou para casa da mãe abobrar.
Só estou à espera das últimas análises que vão levar mais tempo a chegar pois são daquelas que consomem 3 frasquinhos de sangue e tudo por causa das células estaminais. Para a semana que vem vamos busvcar o Kit Bebé Vida e então rumarei ao Sul.
Hoje perguntaram-ne se estou com medo do parto. Acho que tinha mais medo quando não estava grávida e pensava nisso. Agora, só de pensar que vou ver a nossa filha, quero lá saber, só quero que tudo corra bem e não sou nada contra a epidural. Já ouvi falar mal da anestesia, mas eu vou querer, vou pois.
Vou vendo o tempo passar e diz o ticker do blog que só faltam 38 dias. Vou fazendo traços na parede ;)

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Como será?

Enquanto leio, vou vendo a barriga aos pulos, tem sido um dos meus passatempos, ontem a Rita teve soluços e eu lá ia embalando a barriga para ver se passava, ainda durou uns bons 10 minutos, pobre bichinha. Estou doida para a ter connosco, há 34 semanas que ando nisto e agora, perto do fim tenho um misto de receio e curiosidade.
Tenho receio porque quero que tudo corra bem, que ela seja saudável, feliz. Mas como será ser mãe? Nunca fui, bolas. Vou deixar de ser eu, um eu despreocupado, para ser mamã da Rita. Vamos ter de adaptar as nossas rotinas, certamente vamos deixar de dar importância a algumas coisas e valorizar outras que não faziam parte da nossa vida. Vamos ter um novo vocabulário onde mamas, cocós, fraldas e outras coisas passarão a ser corriqueiras. Vamos sair do clube das estagiárias e passar a mamãs efectivas. Quando formos jantar a casa de alguém já não vamos só levar o vinho, vamos com o leite, as fraldas e toda essa parafrenália atrás. Acabaram-se as idas a Lisboa para jantarinhos com as amigas, sem horas para voltar. Para mim tudo isto é novidade. Com quase 36 anos de idade, já tão habituada a esta independência, tudo irá mudar. Será então altura de novos amores, de babar a olhar para a bebé, de voltar a brincar como uma criança, de ir à praia a horas decentes e de deitar e acordar a horas indecentes. Os Natais serão de novo cheios de magia, mas desta vez seremos nós os feitiçeiros dos sonhos da nossa bebé.
Por agora, só quero que a minha gravidez continue bem, porque apesar de estar enorme, não tenho problemas nenhuns. Vou aproveitar esta última semana em casa, pois no início do mês vou para casa da minha mãe e vou ter de deixar cá o meu companheiro, o gato e o cão e uma parte do meu coração. A Rita virá ao mundo na terra onde crescemos, junto de toda a família.

A arte de não fazer nada e de escrever sobre isso

Não sei nem como nem porquê, a minha cara voltou quase ao normal. Já não tenho cara de lua cheia, contudo o nariz continua grande. Foi de um dia para o outro. Será de não fazer nada, nada de nada?
Tenho a casa arrumada e faço sempre as refeições, mas passo o dia sentada na cadeirinha de baloiço com os pés ao alto. O novo livro do José Rodrigues dos Santos foi meu companheiro enquanto durou, de todos o mais fácil de ler, um tanto catastrófico e a antever um futuro bastante complicado no que respeita ao consumo das reservas de energia. Confesso que o meu favorito foi o Codex, esse adorei, tem mais a ver com os meus interesses. Gostei muito da Formula de Deus, mas a viagem que fiz no Codex pela Quinta da Regaleira, foi, para mim, um excelente momento. Mas como tudo o que é bom, acaba depressa, o livro já foi consumido.
Hoje vou dar um pulo à fnac para substituir o livro do Harry Potter que o cão comeu. Estar sem fazer nada e sem poder fazer algumas coisas é muito aborrecido e nem sempre tenho disposição para ler, chamo-lhe bloqueio de leitura. Por vezes, depois de um bom livro, é difícil voltar a ler porque a qualidade não se mantem, então, vou ler something completely different, o Potter.

sábado, 20 de outubro de 2007

Ai meu Deus

Abriu um novo centro comercial em Torres. Nós ontem, lá fomos para ver um filme qualquer. Só que fomos muito cedo e eu ando tão pesada que não resisti muito tempo por lá. Dores nas costas, pressão na barriga. Decidimos passar em casa de uns amigos.
Estivemos a jogar Buzz, ri tanto tanto que foi melhor que o cinema. Voltámos para casa e fomos ver um filme que há muito procurávamos e que um amigo lá arranjou na internet. El dia de la bestia de Alex de la Iglesia . Começaram aí as dores, um mal estar, picadas na barriga que iam e vinham. Pensei logo: queres ver????? Não pode ser, 33 semanas. Não! Fui deitar-me e lá passaram. Mas assustei-me.

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

33 Semanas


Já não falta muito, cada vez se torna mais difícil andar. A roupa já é escassa e lá vou fazendo o possivel por não andar de bibe o dia todo. A azia tornou-se uma constante, mas ainda me consigo livrar dela. Os pés já não incham tanto, mas isto deve-se a ter comprado um apoio para os pés no Ikea, é espantosa a diferença.
As pessoas continuam a dizer-me que estou no fim do tempo porque tenho a cara muito inchada. Espero bem que estejam enganadas, quero ter tempo para ir para baixo ter o bebé em Portimão. A verdade seja dita, não tenho cá nada para recém-nascida. Se, por acaso, ela se lembrasse de vir ao mundo cá em cima... lá tinha de vir a família a correr com as coisinhas que lá estão em baixo.
Ontem fui à segurança social e às finanças, como foi difícil. Ainda por cima aumentei 2Ks em 4 dias... Isso é que foi triste.
A barriga vai crescendo de dia para dia e eu dou por isso, mas é quando tiramos uma fotografia que fico surpreendida. Está mesmo grande. Á noite é quando me movimento pior, mas descobri como dormir a noite toda, não bebendo água perto da hora de deitar. Se beber, visito a casa de banho umas 4 vezes. Espanta-me dormir tantas horas... sim, ando a dormir pouco mais de 10 horas, pensava que era só no início da gravidez que se dormia tanto. Depois de comer fico sempre com sono, mas evito ir para a cama de dia, durmo 5 minutos no sofá e fico fresca.
De resto, não me posso queixar. A ciática visita-me, mas não causa grandes estragos, é pontual, mas passo bem e com saúde os meus dias. Estou é farta de não poder fazer uma serie de coisas. Mas paciência ;)

terça-feira, 16 de outubro de 2007

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

A chupeta


Tentei dar os links no Blog da mãe da Daniela, como não fui bem sucedida, aqui vai o que apanhei sobre chupetas na net.

"Tanto para o recém-nascido de termo, como para o pré-termo (prematuro) o uso da chupeta tem se mostrado de grande importância.

Existem vários pontos de vista em relação há este fato, mas uma coisa é regra básica,"Sempre deve-se buscar o aleitamento ao seio exclusivo como a meta principal". Todo e qualquer artifício utilizado, que leve a qualquer risco desta prática ser interrompida, deve ser muito discutido.

Ela acalma a criança, propiciando menos gasto energético, dá ritmo, coordenação, força muscular e melhora a oxigenação transcutânea ("aproveitamento" do oxigênio através da pele), e evita o sugar o dedo, que pode se tornar um hábito (no início como pacificador de uma necessidade sensório motora e futuramente trazendo danos às áreas fonoarticulatórias).

O hábito de sugar o dedo, promove o padrão anteriorizado da língua entre as gengivas ou dentes, causando deformação na arcada dentária e alteração da produção de sons como: T, "te", D "de", S "se", Z "ze" e N "ne" . Pode ainda se tornar um apoio a situações de frustração sócio afetivas. O desaparecimento deste hábito é extremamente difícil, uma vez que o dedo tem presença constante no esquema corporal.

Recomenda-se então o uso da chupeta ortodôntica, devido a sua forma anatômica semelhante ao seio materno. Esta semelhança com o mamilo permite a elevação da ponta da língua na cavidade oral, estimulando a preparação das zonas de contato da língua para uma deglutição que não provoque alteração da arcada dentária, e também ajudando a produção dos sons como: T "te”, D "de", N "ne" ,L "lê”, R "re" e " lhe". Sua forma permite também uma melhor pressão dos lábios em virtude de seu formato achatado e bulbo curto.

Porém, o uso da chupeta não deve se estender além do final do segundo ano de vida, pois então ela se tornaria prejudicial.

Faz-se necessário então, a disciplina com relação à utilização da mesma. Quando a criança fica acordada por um período de tempo maior, é conveniente não utilizá-la, neste tempo a criança entretêm-se com as mãos, explora brinquedos, balbucia como forma de exercitar a musculatura oral.

Aconselha-se o uso da chupeta em situação de cansaço e sono. Depois que a criança já está em sono profundo a mesma deve ser retirada.

Por volta dos dois anos ou dois anos e meio, se faz necessário a substituição da chupeta. Muitas crianças necessitam de um elemento de transição para "sugar". Este deve ser um brinquedo macio e aconchegante, pelo qual ela tenha afeto e também que lhe faça companhia.

Quando necessário o uso de mamadeira, utilizar bicos ortodônticos, pela semelhança do bico do seio materno. Quanto as vantagens, são as mesmas mencionadas em relação à chupeta."

in http://www.saudenainternet.com.br

"Chupeta ortodôntica: vale à pena?

Geralmente os pais ficam numa enorme indecisão: oferecer ou não a chupeta ao seu filho. Muitos optam pela chupeta ortodôntica. Será que esse simples acessório traz prejuízos ao desenvolvimento do seu bebê? Saberemos agora.

O reflexo de sucção aparece no bebê já na décima oitava semana de vida uterina. É um reflexo de sobrevivência, já que o bebê precisa sugar para se alimentar.

Além disso, sugar dá prazer ao bebê. Assim, o pequeno precisa sugar para saciar sua fome e para atender sua necessidade de sucção. Aí entra a questão da chupeta.

Os pais precisam saber que tanto a chupeta comum quanto a ortodôntica trazem sim prejuízos ao desenvolvimento da criança. Os dois modelos produzem alterações nos arcos dentais e na musculatura facial da criança. A diferença entre eles está na gravidade dos danos causados.

Não vamos nos esquecer: a criança sente prazer em sugar. Portanto, a necessidade de sucção da criança pode ser saciada de outras maneiras que não a chupeta, como, por exemplo, a amamentação. O bebê tem que sugar o seio se alimentando e satisfazendo sua necessidade.

Quando o peito da mãe está muito cheio de leite, o bebê não tem trabalho para retirar o leite e mata a fome, mas não mata a vontade de sugar. Aí entra o segredinho. Nesse caso, a mamãe tem que retirar um pouco de leite antes de amamentar para que o bebê tenha que se esforçar para acabar com a fome. Matou charada?

Bebês que não amamentam podem usar um copo de bico com válvula que fará o bebê trabalhar mais para obter o leite.

Chupeta, mesmo ortodôntica, deve ser evitada ao máximo. O ideal é que as mamães nunca ofereçam esse acessório às crianças. Cabe à mamãe dar os primeiros passos para que o bebê não sofra as conseqüências de algo perfeitamente evitável.

Largue o quanto antes - Se a chupeta já fizer parte do cotidiano da criança, o melhor é que seja abandonada até por volta dos dois ou três anos. Dessa forma, alguns dos efeitos negativos deste hábito, como a mordida aberta anterior, tendem a regredir. Depois desta idade, os problemas progridem, podendo afetar algumas funções como a fala, mastigação, deglutição e respiração.

As mamães não são informadas o suficiente para saber que mesmo as chupetas ortodônticas geram alterações que por vezes não se resolvem somente com a dentição permanente ou uso de aparelho. Muitas vezes a criança precisará também de apoio psicológico para retirada do hábito, terapia fonoaudiológica para as alterações de fala, mastigação e deglutição e tratamento otorrinolaringológico para a respiração.

É importante que a mamãe perceba o que o bebê está tentando transmitir quando chora e atender a essas necessidades sem substituí-las pelo uso do “cala-a-boca” chamado chupeta.

Dicas

0 a 6 meses
A amamentação exclusiva é uma prevenção ao uso da chupeta.

6 meses a 3 anos
Se o hábito da chupeta já estiver instalado, o ideal é que se retire até essa idade para que os danos sejam pequenos.

3 a 6 anos
Se a mãe sozinha não conseguir retirar a chupeta do seu filho, especialistas como fonoaudiólogos, dentistas e psicólogos devem ser procurados."

in http://guiadobebe.uol.com.br

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Ida à médica

Muito feliz com os resultados. A bebé está óptima, a placenta está óptima, o perfil biofisico é de 8/8, peso está no percentil 50 e o fémur no percentil 75.
Está prevista a chegada da Rita para inicio de Dezembro, pensava eu ir para a casa da minha mãe lá para meio de Novembro, mas a médica disse-me para ir logo no início do mês. Já tenho as últimas análises marcadas e assim que tiver os resultados vou a últimas vez à simpática Dra. Linda Fradique, é com pena minha que vou mudar de médica pois vou ter a bebé noutra cidade. Vou mais cedo para fazer o último mês com a outra médica, levo uma cartinha, as agulhas para fazer malha (not) e lá vou eu para casa da mãe. A ida para casa da mãe é que me assusta, ainda vou dar em doida, longe do Nuno, do gato e do cão, sem as minhas traquitanas às quais estou tão habituada, mas lá também há net!!!!
A médica mandou-me fazer repouso absoluto, eu perguntei, mais ainda???? Sim, não faça nada, não carregue, cuidado com o varrer, fazer a cama, nada de bricolage, descanse!
A verdade é que me fico estafada só de andar, mas se não fizer nada... fico cansada de não fazer nada, dilema.
Bom, vou levando uma peúga para a máquina de lavar assim muito de vez em quando ;)


Tenho a net, filmes, playstation, o gato e o cão.

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Sinto-me...



...emocionada com a lágrima ao canto do olho quando um colega que cozinha bem, trás-me batatas fritas feitas por ele.
...feliz, ganhei uma valiosa joia quando uns amigos me dão um termometro para o banho da bebé.
...apreciada e lembrada quando me mandam um sms com uma novidade maravilhosa.
...agradecida, amada, mesmo estando inchada como um balão quando me dizem que estou bonita.
...especial quando alguém, no elevador, protege a minha barriga de cotovelos anónimos.
...maravilhada quando vejo a barriga aos saltinhos.
...delirante quando nascem bebés das mamãs dos blogues.
...triste quando voçês estão tristes.
...acompanhada quando vejo as vossas mensagens.
...tolinha por estar tão sensivel :D

Cada um é como cada qual! E eu sempre fui muito emotiva. São pequenas coisas, pequenos gestos, pequenas atenções.
Mas noto que agora tenho as emoções mais à flor da pele.

Uma feliz notícia


Quando acordei tinha um sms.
Chegou ontem à noite a V. da nossa Dunguinha, 2.850 Kgs e é linda!!!!
Mais um bebé, mais uma mamã, mais uma alegria!

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

O dia de ver a Rita


Esta manhã lá fomos para Lisboa fazer a Ecografia das 32 semanitas. Eu fui de cara inchada (muito) e um pouco danada pois o Sr. da Eco já me tinha dito que eu estava gordinha. Quando lá cheguei ele olha para o ecrã e diz: 32 semanas! Confirmo e ele continua - Bom, mas que grande barriga, será a embalagem ou é a Rita?
Antes que ele se adiantasse a "embalagem" disparou logo: Eu sei que eu estou com peso a mais (86,5 Kgs), mas sempre fui assim e agora nem dieta posso fazer, portanto, deixe lá os meus quilos e diga-me é se a bebé está com o peso normal e tamanho normal e dois olhos e isso tudo!!!
E pronto, parece que ele percebeu.
Lá vi a nossa bebé no ecrã, com as lágrimas a cair, vi o seu narizito, pedi que registassem essa imagem para poder olhar sempre que me sinta cansada de rebolar com a bebé na barriga.
A Rita está boa, o coração tem bons batimentos, movimenta-se bem, está com cerca de 1,874 Kgs, percentil 50 e tem o osso da pernoca bastante longo (sai ao pai).
Depois olhou para mim e disse que o meu nariz estava muito dilatado (que novidade e não é só o nariz) para ir ver a tensão arterial, poderia estar baixa. Perguntou se me sentia cansada. Se tinha sono. Sim para tudo. A nossa Rita está de cabeça para baixo e sinto muita pressão. Embora seja fácil dormir, não durmo uma noite de seguida. Claro que estou cansada.
A minha cara é de grávida, muito inchada e avermelhada, o Nuno diz que parece que saí de uma depilação marada!
Depois da clínica oscilei até o hospital ver se me adiantavam a consulta, a última foi a 31 de Agosto e só lá iria voltar a 28 de Outubro (dois meses é muito). Falei com a assistente de obstétricia do British Hospital a Filomena, uma querida e amorosa pessoa, aproveitei para me tirarem a tensão, estava optima, e tenho consulta daqui a 2 dias :)
Fui almoçar com o papá da Rita para lhe contar tudo. E depois rebolei para as finanças, coisa chata!!! Antes de voltar para a minha aldeia, fui ao club de video onde aluguei umas coisitas que vou ver, assim que termine o post, refastelada no sofá.
Já agora, o pobre pai tem andado a montar o quartinho da Rita. Já temos o movelzito para mudar as fraldas e a cadeira de baloiço segue-se o berço e o móvel de gavetas :)

domingo, 7 de outubro de 2007

Novidades


É amanhã, dia 8 que a futura mamã Dunga pasará a ser a presente mamã. Para ela o grande desejo de felicidades e de uma boa hora.
Foi no dia 5 de Outubro que nasceu a Ana, é mais uma bebé que chega pondo fim a mais uma gravidez que tenho acompanhado. É com grande felicidade que vou vendo estas novas vidas a chegarem e a alegria que as acompanha.
Esta semana o nosso bloguito ganhou duas novas mamãs, mais uma alegria. A Simone e a Sofia.

Foi também esta semana que a nossa Rita ganhou o seu quarto.
A avó veio cá e lá fomos as duas para o IKEA, onde meio Portugal passeava e metade das grávidas do mundo conhecido faziam as suas compras. Vim de lá mais morta que viva e inchada como um peixe balão.
Agora olho para as caixas que estão à espera que eu as abra e monte as coisinhas, com um certo desespero pois, estou muito grande e pesada e não consigo carregar nada.
Amanhã é dia de Eco, vou ver a Rita. Na terça vou investir na montagem do quarto.
Morgy, tinhas razão. Já devia ter montado tudo, o pai da Rita tem trabalhado todos os dias e não tenho muito ajuda para estas coisas. Mas sei como sou e assim que montar a primeira coisa, o resto vai tudo de enfiada.

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

A Lua e a gravidez


A LUA E A FERTILIDADE
Tradicionalmente, a Lua representa o Princípio Feminino: a mulher/mãe na sua capacidade de fecundar, gestar, proteger e nutrir sua cria. Por isso a ela se atribui o domínio sobre todos os processos e forma de fertilidade e nutrição. Partos, gravidez, gestação, concepção - estão todos sob a regência da Lua. É conhecido o impacto sobre a incidência de partos na troca de Lua. A Lua Cheia é a campeã dos nascimentos. É muito difícil resistir à chegada da Lua Cheia quando as semanas de gestação já estão cumpridas ou próximas de se cumprirem.
Devido à força gravitacional que exerce sobre a Terra, a Lua actua sobre o volume, o fluxo e refluxo dos líquidos e das águas existentes sobre a Terra, nas camadas subterrâneas pressionando o interior da Terra, no interior dos vegetais e no corpo humano. As marés dos oceanos, dos rios, a seiva dos vegetais e o fluxo de sangue e de líquido no organismo sofrem a influência da Lua, na medida em que ela se movimenta em relação ao Sol.
O OUTRO LADO DA LUA
“Mudou a lua; agora o bebê vai nascer.”
Este é um dos mitos mais famosos. Acontece que, antes da criação do calendário que usamos hoje, as sociedades se orientavam pelas mudanças da lua. Em vez de dizer que são 40 semanas de gestação, o homem dizia que eram 40 luas. Cada semana correspondia a um ciclo de mudança lunar. Quando a mulher estava próximo das 40 semanas de gestação, por volta da 36ª semana, alguém dizia: ‘cuidado, amanhã tem mudança de lua e o bebê poderá nascer’. Portanto, em nada a lua influencia o parto.

Tabela de género chinesa

Encontrei esta tabela num passeio pela net.
Diz-nos se vamos ter um menino ou menina. Não deixa de ser curioso. Para mim deu certinho.

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

A morte de Harry Potter


Foi num domingo chuvoso.

Levantei-me, e assim que entrei na sala deparei-me com o assassinato do Harry Potter.
Tinha ganho o último livro, oferecido pelo Nuno depois de muito o chatear. Era um livro bonito, cheio de páginas a cheirar a novo e à espera de serem lidas. Como não me recordava bem do penúltimo pensei em voltar a lê-lo para poder então continuar a histórias destes personagens que, já há alguns anos, me fazem companhia. Mas não, lá jazia o Harry, sem nenhuma glória ou feitiço, morreu nas primeiras páginas.
O meu cão comeu-o!

terça-feira, 2 de outubro de 2007

31 Semanas


Então? Acabaste de acordar, não?
Não, estou inchada mesmo e dura até me deitar.

Já não passa!!! Dizem que é de ser uma menina, a cara está inchada, os olhos, o nariz, os lábios. É uma alegria. Mas pronto, não é nenhuma catástrofe.
Ontem lá fui às compras para a semana, e desta vez costou-me horrores carregar o pack de 3 garrafões. Ainda olhei ao meu redor para ver se encontrava ajuda, mas lá me enchi de coragem e consegui enfiar tudo no carro.
Enquanto esperava por ser atendida no talho, deram-me os calores. Abanava-me frenéticamente com a lista das compras, a senhora olhou para mim e perguntou-me, a menina quer um banquinho?? Não obrigada! (Mas olhe que uma ventoinha vinha mesmo a calhar)pensei eu.
Faltam-nos dois meses lolololol. Tou tramada, a arredondar assim... É ajuda para me levantar do sofá, é rolar para sair da cama, é mudar de posição constantemente. Mas bolas, durmo tão bem... disso não reclamo.
Vou fazendo a minha vida. Já vi que não posso comprar packs de 3 garrafões, mas enquanto houver espaço para mim no carro, vou continuar a conduzir, a rebolar para comprar o jornal e a ir beber café. Não me peçam para andar grandes distâncias, isso custa-me muito, mas pronto, vou rebolando!!

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

30 Semanas

No passado domingo tive o meu habitual ensaio. Já não fico de pé, passo o ensaio todo sentada para não inchar, às vezes tenho receio que a música esteja muito alta para a bebé. Mas nunca me senti mal nem dei por desconforto algum.
Foram 4 horas sem parar e desde aí que não sentia os pulinhos da Rita. Aquilo começou a preocupar-me e a deixar-me triste. Cada vez mais preocupada voltei-me para uma nova dieta, muitas calorias. Chocolate em barra, no leite, massas e pronto, na madrudaga de segunda, já a Rita pulava e saltava alegre. Andei um bocado abalada, mas já passou. A enfermeira disse para estar atenta ao número de movimentos, não menos que dez, hoje já lhes perdi a conta. Cá para mim andava a ingerir poucas calorias. Os movimentos são acompanhados por festinhas e palavrinhas de amor para a nossa bebé.
Estivemos com o bebé Gabriel e ele ofereceu-nos o seu termometro de banho :) os papás dele já não usam, são profissionais. Adorei estar com eles, o bebé é tão alegre e meiguinho e está tão crescidinho. Porta-se muito bem e sorri imenso. Eles até conseguem jantar em paz e a mamã Morgy tem tudo sob controlo. Beijos para eles.
A mamã Raquel já tem o seu bebé nos braços, eu fico delirante com estas novidades. A Dunguita anda já a fazer risquinhos na parede, faltam 12 dias. Fico preocupada pela Beth que teve um problema às 22 semanas e vai ter de passar o resto do tempo na cama, para ela um abraço cheio de força.
Por cá tudo está a correr bem, no inicio do mês que vem vamos comprar o quartinho da Rita e vamos levando tudo com calma.
Beijos para todas.

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Mais uma semana

E é mesmo assim. Não me posso queixar. Tem corrido tudo bem, tenho os dedos da mão dormentes já há não sei quantas semanas, tirando isso... Balanço entre suspiros quando tenho que andar muito e os pés ficam "ligeiramente maiores". Agradeço pelo bom tempo e por ainda poder usar sandálias. A roupa já é pouca, mas ainda saio de casa vestida! ;) Ontem fui almoçar com amigas e comemos bolo de chocolate, esta noite ia-me afogando em azia, mas acordei bem disposta e já dei uma volta à casa que parece estar arrumada. Aumento a olhos vistos de semana para semana e assusto-me ao passar por espelhos, fico apreensiva quando vejo o calendário a dizer que já só faltam dois meses e pouco. Mas está tudo a correr bem. Hoje é um dia bom.

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

O que temos!!!



Nem sei por onde começar.
Até sapatinhos da Disney para 6 meses já temos :D há quem não resista e a tia Carla vê bonequinho, sapatinho, vestidinho e mima-nos.
Tirando a roupa que fomos comprando para 0-1; 1-3 e 3-6 meses, peuguitos, casacos comprados e feitos por habilidosas mãos (não as minhas, claro), a nossa bebé já tem o carro, o ovo, a alcofa, lençois, toalhinhas, babetes, gorros, mantinhas, mobile, sei lá eu. Até fraldas e toalhetes tem. Nem me lembro de tudo o que se comprou.

Agora, quando me perguntam o que falta... Nem sei. Só vai precisar de Amor, Carinho e Amizade. É com isso que conto e é só isso que quero que continuem a trazer.
Os bebés podem ter tudo de material, mas o que os vai fazer felizes é o colo dado com carinho, os olhares com ternura e os amigos para que nunca se sinta só.

A mãe agradece a todos os amigos que nos querem bem, os que nos telefonam, que se preocupam, os que dão mimos e encorajam e a voçês, amigas de vida e de blogs, que me têm dado tanta alegria ao partilharem as vossa palavras comigo. A todas vós barrigas e mães com blogs, que tanta companhia me têm feito um grande beijo e obrigada!

terça-feira, 11 de setembro de 2007

28 Semanas

28 Semanas



Grande, né???

Com este volume claro que ela dá saltos e eu também. A Maria perguntou se eu a senti dar a volta. Acho que não... Quando fui à consulta no fim do mês, ela já estava de cabeça para baixo. Nem dei por nada!!!

sábado, 8 de setembro de 2007

Território em expansão

Enorme!!! è o que eu estou.
Nunca fui pequenita e sempre tive facilidade em engordar. Desde que engravidei parei com as dietas, como massa, arroz, bom... como aquilo de que me privava antes.
Embora me digam que não estou muito gorda, os quilos a mais e a Rita na barriga deixam-me enorme!
Este mês só, hihi, engordei 2 kgs. Mas bolas, sou um ovo enorme.
Fui para o Sul ter com a família. Aproveitei para fazer compras. Resultado, no fim do dia o meu pé esquerdo até dormente ficava e reconheço que fico cómica quando ando, especialmente se fôr a passo rápido. Fiz tanta compra que só me falta o quartinho da bebé. Acho que até a roupa já está toda comprada (faltam os barretes, Peixinha).
Voltei para casa hoje e cheia de saudades do pai da Rita, do gato e do cão.
A mão direira continua com 2 dedos dormentes, mas graças à acupunctura não me doi tando a mão e o braço. Recomenda-se!! 2ª feira vou à segunda consulta.
Apesar do tamanho e do desconforto, tenho a alegria de sentir a bebé. Como a sinto, está de cabeça para baixo, dá pontapés no estômago, faz pressão na bacia e vejo a barriga dar saltos!!!
É o maximo!!!!

terça-feira, 28 de agosto de 2007

A hora de ir para a maternidade


Vou postar algumas coisas que podem ser úteis para tirar duvidas e que aprendi nas aulas de PPP.

Ao ir para a maternidade, além da nossa malinha, devemos levar o livrinho de grávida, as últimas análises e a última ecografia.

Contrações:
Podem começar sem serem ciclicas. Ao sentar ou deitar podem passar, ainda não é chegada a hora.
As contrações, geralmente, tornam a barriga muito dura mas pode nem doer nessa zona, pode ser um desconforto na zona lombar ou algo que lembra cólicas.
Quando o ciclo se repete de meia em meia hora, pode-se agarrar na malinha e sair para a maternidade. Quem vive perto do hospital, pode aguentar pelo ciclo de quinze minutos.
Geralmente quando se chega à maternidade é para ficar. Convem ir o mais tarde possivel par que possamos estar no conforto da nossa casa até ser a hora certa. Em casa podemos andar, o que facilita o trabalho de parto, tomar um banho para relaxar e, com calma, preparar a ida para o hospital.

Atenção, diz a Morgy: "Já agora... nem sempre as contracções começam a ser regulares de meia em meia hora, a mim romperam as águas e quando chegaram* as contracções eram de três em três minutos :)

*quando chegaram ou quando comecei a notá-las

Geralmente dizem para se ir para o hospital quando estão regulares de 5m em 5m caso se viva perto do hospital ou de 10m em 10m se se viver mais longe."

Ruptura da membrana
Chamam também romper as águas.

.Côr:
Claro, transparente- Normal
Verde- Urgente
Vermelho sangue- Emergência

.Cheiro:
Sem cheiro
Cheiro fétido - Liquido envelhecido

Há nas farmácias uns pensos para controlo da perda de liquido amniótico, chamam-se "Safe Baby"

É bom dizer ao médico qual a côr e o cheiro no caso da ruptura da membrana. O mesmo se passa se for necessário pedir uma ambulancia de transporte.

Deve-se ir para o hospital quando há contrações e ruptura de membrana, ou perda de sangue mesmo quie não haja ruptura de membrana.

Perda do rolhão mucoso
A perda do rolhão mucoso (parece uma geleia rosada, acastanhada e viscosa) é o primeiro sinal de trabalho de parto. Não iomplica urgência pois pode acontecer uma semana antes do nascimento do bebé.

Encontrei no Blogue da Mamã Peixinha informações mais completas, espreitem.

O ferro!!!

Repeti as análises, estavam errados os valores anteriores. Tá cá o ferro todo :)
Uma picadinha rápida e pronto, telefonaram para casa a dizer que estava dentro dos valores normais. Foi um final feliz.

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Análises

Pois, lá me ligaram da médica. - Olhe, mas é 3? ou tem mais algum número? - Não é mesmo 3 e eu liguei para o laboratório e eles confirmaram. - Mas não pode ser! - Ah pois não, eu até estou rosadinha e tudo.- Foi engano, vai fazer outras análises!
E pronto, foi assim que se resolveu. :) O valor é tão estupidamente baixo que só pode ser engano. Eu nem me sinto cansada nem nada. Ontem fui a tarde toda para as compras e fiz o jantar e cá estou inteira e rosada.
Vou às picas outra vez.

Deficiência de Ferro

Fui buscar as minhas análises. Passei o dia de ontem a tentar falar com a minha médica pois tenho o ferro a 3, ou melhor quase não tenho. Olhando para mim, não se adivinha, não tenho um aspecto nada anémico. Para ir melhorando as coisas, além do suplemento de ferro que já tomo, ontem jantei carne com espargado, sopa de feijão e até chocolate comi (ok, ontem comi demais). Estou agora à espera que me telefonem do hospital para saber o que devo fazer, só sei que a assistente até se assustou com os valores da análise. Pois, também eu :(
Encontrei este site com boas informações alimentares:

terça-feira, 21 de agosto de 2007

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

24 semanas

The blob


É muito triste. Incho terrivelmente mas de forma desigual!!!
Incha-me a mão direita e o pé esquerdo!
- O positivo: é mais equilibrado e plo menos não incha o pé direito nem a mão esquerda.
- O negativo: o pé parece que vai romper a pele e a mão não a consigo fechar totalmente.
- O estranho: O pé incha durante o dia e a mão durante a noite.
lolol
Ontem à noite tinha o pé enorme, desinchou durante a noite. A mão estava inchada quando acordei, foi desinchando durante o dia! Vendo de fora é engraçado.
As almofadas, resulta, tanto para a barriga, que não bate no colchão como para a coluna, mas farto-me da posição. Mas que resulta, resulta.
O meu remédio para dormir é, levar o portátil para a cama com um filme daqueles que gosto e que já vi milhares de vezes (os headphones é uma boa solução para não incomodar o parceiro adormecido). É certo que nunca acabo o filme e muitas vezes chega a durar dias. É que quando fecho os olhos continuo a ouvir os diálogos e como já vi o filme tantas vezes, acaba por passar por um audiobook.
Lista de filmes:
. O quinto elemento
. Matrix
. Senhor dos anéis
. Chocolate (perigoso por causa da gula)
. O dom
. Código da Vinci (o computador não leu, vim para a sala no dia seguinte, dormi na mesma)
. Resident evil

Quando esgotar a lista vou voltar-me para os audiobooks!!
Não leio nada há muito tempo, comprei o novo livro de Amy Tan mas ando sem vontade, o último que li foi "O historiador" de Elizabeth Kostova.
Tinha o Harry Potter novo, mas isso fica para outro post.

quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Um sono almofadado


Resultou!!!
Hoje devo ter dormido a noite quase toda sem interrupções!!!
Dormir sentada com um bom apoio resulta, já só tenho a ponta dos dedos dormentes e sei que com o tempo acaba por passar. Que descanso. Se vocês já me tinham dado ânimo, então a noite de hoje deixou-me muito descansada!!!
Obrigada amigas!

terça-feira, 14 de agosto de 2007

Mais análises

Ontem na minha segunda aula de PPP falámos da alimentação. Fizemos exercicios de ginástica também, mas como ando mal da coluna fiquei cheia de dores de cabeça. Quando cheguei a casa tomei um comprimido pois já nem conseguia mexer os olhos. Tenho passado mal as noites. Durmo 3 horas e depois acordo com a mão dormente, viro-me para o outro lado e passado um pouco, já tenho essa dormente também. Depois é só revolver-me na cama até já não poder mais. Levantei-me às 9 e já me doia a cabeça outra vez. Por essa hora saí para ir fazer análises por causa da diabetes. No caminho liguei, pela primeira vez, para a minha obstetra. Ela lá me disse para ter paciência, para tomar nolotil se persistir. Mas eu não queria. Disse para ir a um quiropata pois devia estar com pontos de pressão na coluna, aconselhou banho quente de chuveiro e massagens no pescoço.
Na clínica, fui atendida às 10 e meia depois de pedir para serem rápidos por estar em jejum. Fui indecentemente picada nos dois braços e lá me deram o charope de glicose. Quando a analista olhou, já eu tinha bebido o charope todo. Já??? E eu olhava-a com ar de quem queria mais (estava faminta). Tive de esperar uma hora, que ocupei nas comprar para não morrer de tédio, mas com as dores de cabeça acabei por comprar só uns garrafões de água e uns bifitos de peru.
Voltei para casa e decidi almofadar a cama, tenho umas almofadas enormes que usei para me dar elevação nas costas, encostei-me e puff, parecia que estava nas nuvens. Dormi três horas sentada e não fiquei com as mãos dormentes. Pode ser que tenha encontrado a solução. Quero é ver como é que vou durar mais três meses assim. Estou um pouquito desnimada!

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

O meu pecado


Hoje estava triste, vinguei-me.
Depois de comer a tarte de limão o Nuno perguntava, então??? Já estás mais feliz?
E eu. Um bocadinho!!!!

domingo, 12 de agosto de 2007

Festa da Aldeia


Estamos em Agosto, é a altura das festas de aldeia.
A minha Aldeia entrou em festa dia 11 e nós, que já tinhamos visitado a aldeia vizinha em festa, não faltámos à inauguração da nossa. O jantar começou às 9 da noite e comi uma sopa de pedra e fui petiscando aqui e ali um pouco de carne e de polvo. Como somos novos na aldeia, foi bom conhecer pessoas novas para nos irmos habituando ao nosso novo habitat. Conhecemos o vizinho do galo, aquele que nos acorda todos os dia e ficámos a saber que o bicho era um espécime muito simpático e inteligente (o galo, claro)! Depois seguiu o bailarico, típico da festa. A música não era muito do nosso agrado então o pessoal ia bebendo disto e daquilo e eu a garrafinhas de água, apenas molhei o bico no shot pastel de nata para provar, è bom... E abanda continuava a tocar. "Chaparral Band" tocou umas 4 horas sem parar e ouvi coisas esquecidas há muitos anos no baú da minha infância. Tocaram uma música das Doce que foi ao festival da eurovisão "Bem Bom", ouvi o "Ali babá, babá bali" enfim...foi bom recordar. Por fim era Xutos e Pontapés, Metálica, e outros exitos já da nossa adolescência, fartei-me de dançar e até bailarico dancei sem pisar nem ser pisada. :)
Fui para casa às 3 e meia da manhã já com a barriga a dar sinais de desconforto pelas muitas horas passadas em pé.
Hoje acordei com a mão direita inchada por causa da coluna e com a alma lavada!!!
Viva a minha Aldeia!!!

quinta-feira, 9 de agosto de 2007

Sonhos

Hoje, sniff sniff, sonhei com a nossa Rita.
Sonhei que tinha nascido com muita facilidade e que era linda. Curiosamente um pouco grande para recem-nascida, mas isso são coisas de sonho. Sonhei que acordava e gritava... Nuno, esqueci-me de dar de mamar à Rita e ela não pode estar tanto tempo sem comer. Fui a correr para o berço e ela dormia. Fiquei logo tranquila e dei-lhe de mamar o que foi muito fácil. Pensei eu no sonho... Mas é mais fácil do que julguei, o parto não doeu, dar de mamar também não... (sonhos). Depois tirei-lhe uma fotografia e mandei à minha mãe pelo telefone para ela ver como a neta era linda.
O desejo é tão grande de ter a nossa bebé connosco. Já a sinto a mexer tanto durante a noite que hoje às 6 e meia da manhã estava a curtir a festa dela na minha barriga. Tem sido difícil adormecer e hoje dormi a tarde quase toda, já sei que há noite vou adormecer tarde outra vez.
Foi um sonho tão real... Começo a ficar ansiosa por ver a bebé e ainda falta tanto tempo, mas já a sinto tão presente.
Vamos ainda ter de esperar. Primeiro vem a bebé da Dunga, a V..Estou desejando começar a ver as nossas meninas!!!